Política a gente faz no parlamento e também nas ruas


“Política a gente faz no parlamento e também nas ruas”, afirmou o vereador Gilmar Santiago (PT) em seu discurso de despedida da Câmara Municipal de Salvador, na sessão desta terça-feira (13). Gilmar antecipou que se na próxima semana tiver sessão, vai apresentar um projeto de indicação recomendando à Unesco o tombamento do frontispício (área adjacente à Ladeira da Montanha) como Patrimônio da Humanidade, para evitar que seja alvo da especulação imobiliária.

Recentemente, um ex-superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) autorizou a demolição de imóveis históricos situados na ladeira, após deslizamentos de terra, o que pode abrir caminho para outras demolições e construção de novos imóveis.

“Deixo a Câmara com a consciência do dever cumprido. Procurei debater a cidade, nos três Planos Diretores Urbanos e Leis Orgânicas. Denunciei o La Vue e valeu a pena, porque a cidade vai se livrar desse trambolho”, lembrou Gilmar, destacando entre os projetos que conseguiu aprovar as cotas de 30% para negras e negros nos concursos públicos municipais e a participação na Lei do Saneamento Básico. “Cheguei à Câmara pela luta, vitoriosa, contra a privatização da Embasa e em janeiro retornarei à Embasa”, situou.

Vereadores da situação e oposição fizeram questão de ressaltar o papel desempenhado por Gilmar na Câmara. “Vossa Excelência é um orgulho para esta Casa”, disse o vereador Leo Prates, provável presidente do Legislativo Municipal em 2017. “Reconheço a importância da sua passagem por esta Casa”, declarou o vereador Claudio Tinoco, um dos principais líderes do prefeito. “Com a denúncia do La Vue, você impôs uma derrota ao governo golpista”, falou a vereadora Aladilce Souza, referindo-se à exoneração de Geddel Vieira Lima do governo Temer.

Post em destaque
Postagens recentes