Gilmar indica nome de Olga de Alaketu para unidade de saúde no Matatu


Em homenagem à Yalorixá Olga de Alaketu (Olga Francisca Regis), o vereador Gilmar Santiago (PT) apresentou projeto de indicação ao prefeito ACM Neto para a colocação do nome dela no Posto de Saúde localizado no Vale do Matatu. “Além da importância cultural e religiosa, Dona Olga foi moradora do bairro de Luiz Anselmo e esta homenagem reconhece o papel de destaque como representante do povo negro e dirigente do Terreiro do Alaketu na luta pela preservação das religiões de matriz africana em Salvador”, diz Gilmar.

Dona Olga foi mãe de santo do Terreiro do Alaketu (Ilê Maroiá Láji), em Luiz Anselmo, por 57 anos. Nascida em 9 de setembro de 1925, a sacerdotisa foi iniciada aos 16 anos por mãe Dionísia para a Orixá Iansã. Ela tornou-se mãe de santo em 1948, aos 23 anos, época em que mães de santo famosas e carismáticas comandavam os principais terreiros de Salvador: Mãe Menininha (Gantois) e Mãe Senhora (Axé Opô Afonjá). Ao todo, iniciou mais de 200 filhos e filhas de santo.

“Olga de Alaketu é sempre lembrada como mãe generosa, carinhosa e acolhedora por seus filhos de santo e de sangue. Ao longo de sua vida, foi amiga de políticos ilustres como Getúlio Vargas e Juscelino Kubistchek e sua casa era constantemente visitada por Edson Carneiro, Pierre Verger, Gilberto Gil, Jorge Amado e Camafeu de Oxóssi”, lembra o vereador, acrescentando que o terreiro do Alaketu foi tombado em 2004 pelo IPHAN no mesmo dia 3 de dezembro em que o ofício da baiana de acarajé tornou-se patrimônio cultural imaterial do Brasil.

Post em destaque
Postagens recentes