Balanço da educação mostra que prefeito só acordou no penúltimo ano de gestão


Aulas na Escola Municipal da Fazenda Coutos são em contêineres

Para o vereador Gilmar Santiago (PT), a educação infantil em Salvador é uma luta antiga, mas o balanço da gestão ACM Neto (DEM) aponta que ele só acordou para o problema no penúltimo ano de gestão. “O secretário (Guilherme) Belintani anuncia que vai dobrar o número de vagas de 20 mil para 40 mil em um ano. Se é que isso é possível, vejam quanto tempo foi perdido”, disse Gilmar, nesta quinta-feira (24) na audiência pública “Educação infantil na primeira infância”, da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Lazer da Câmara Municipal.


Gilmar assinalou que existem 150 mil crianças de zero a seis anos de idade fora da escola em Salvador e que a prefeitura alega não ter terrenos com a metragem exigida e por isso não aplica os recursos disponibilizados pelo governo federal para a construção de creches. “Tem terrenos disponíveis em vários bairros, a exemplo de Valéria e Palestina, entre outros. Eles venderam diversos terrenos do município e não será construído nenhum equipamento público neles”, apontou o vereador. Ele disse ainda que o governo do Estado já se colocou à disposição para ajudar o município com os terrenos.

Post em destaque
Postagens recentes