Tribuna da Bahia: Retorno de João Henrique é visto com cautela na Câmara Municipal


O retorno do ex-prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, ao cenário político tem sido analisado com cautela por algumas figuras da política soteropolitana. A recente filiação do ex-gestor ao Partido Republicano (PR), presidido pelo deputado federal Jonga Bacelar, marca a tentativa de recolocação de JH nas mesas das articulações. O partido, sua nova casa, deve avaliar qual será a disputa que o ex-prefeito vai enfrentar no ano que vem, se a Câmara de Vereadores ou o Executivo da capital. Durante o evento do PR Mulher no mês passado, do qual JH participou, Jonga Bacelar referiu-se ao ex-gestor como o homem que deveria retornar ao lugar de onde não deveria ter saído. No entanto, o próprio dirigente já se colocou como opção para concorrer ao Palácio Thomé de Souza.

Enquanto essas questões se ajustam, ex-aliados de João Henrique evitam alongar qualquer avaliação sobre a retomada da vida política do agora estudante de Direito. O vereador Toinho Carolino (PTN) se arrisca a acreditar que cabe ao povo decidir se o ex-prefeito terá cacife para ser realocado no cenário político-partidário de Salvador. “Apesar dos serviços prestados à cidade, ele já tem um tempo fora da vida política, não concorreu na última eleição, então, fica um pouco difícil mensurar a situação dele. Mas o outro porém que dificulta a vida dele é o fato de as contas dele serem reprovadas, isso já implica em impedimento legal para que venha se firmar como candidato”, pondera o legislador. O vereador lembra, no entanto, que advogados do campo da legislação eleitoral apontam para a possibilidade de João Henrique conseguir disputar algum cargo eletivo perante liminar da Justiça. “Acho bom essa possibilidade, porque é um quadro importante para a cidade, fez importante defesa como vereador e como deputado. Acho que ele pode ajudar, se for dada a ele essa oportunidade, e acredito que o PR fez uma grande aquisição”, minimizou o edil em conversa com a reportagem da Tribuna.

Apesar da expectativa mediana, Carolino aponta uma insatisfação do PTN com o ex-prefeito. Quando JH foi prefeito, o partido o apoiava e tinha a Secretaria de Educação sob seu comando com o agora deputado federal João Carlos Bacelar. Agora que João Henrique reapareceu, a legenda abriu as portas para que ele pudesse se filiar, mas em entrevista à Rádio Cem, o ex-gestor afirmou que precisava era de um partido grande, com tempo de televisão, para poder se alocar. Tal declaração deixou a bancada dos ex-aliados contrariada na Câmara, como relata o vereador líder do PTN na Casa. “Ele foi infeliz ao dizer que o PTN é um partido pequeno e de certa maneira ele fechou a porta do PTN. Eu como líder da bancada do partido da Câmara tenho esse sentimento que é compartilhado por todos os colegas. Não caiu bem, não soou bem. As lideranças do PTN ficaram magoadas porque nós abrimos as portas para João Henrique, votamos as contas dele, então, merecíamos um pouco mais de respeito”, desabafou. Mas a insatisfação não vai muito longe.

O próprio Carolino defende o ex-prefeito de alcunha como “tenebroso”, nome dado a João Henrique diante da gestão desastrosa feita à frente da prefeitura nos últimos anos do mandato. “Durante os outros anos que ele esteve à frente do município, ele também fez grandes intervenções na cidade, isso a população deverá lembrar, mas infelizmente findando seu mandato no Executivo teve aquele tempo ruim de chuva, dentre outras, e ele não fez as ações que deveriam ter sido feitas e acabou sendo rotulado assim. Mas é o povo que vai dizer em 2016 se realmente ele é esse tenebroso que parte da imprensa disse que ele é”, disse.

O vereador Gilmar Santiago (PT) compartilha do pensamento de Carolino no que diz respeito ao poder que o eleitor terá nas urnas. “Em política, tudo é possível. JH é um político que viveu os dois lados na vida política. Momentos de muita popularidade quando exerceu o mandato de vereador e depois de deputado estadual com votações boas, sempre foi consagrador. Viveu momento de altas e baixas na política e agora está tentando retomar a vida política. Eu diria que nada é impossível, acho que só um eleitor na frente é quem vai poder definir se ele vai ter sucesso ou não”, apontou o petista, afirmando que tal resultado “vai depender muito do humor e da memória do eleitor”.

Fonte: Tribuna da Bahia

Postagem Original: http://www.tribunadabahia.com.br/2015/08/05/retorno-de-joao-henrique-visto-com-cautela-na-camara-municipal

Autor: Aparecido Silva

Post em destaque
Postagens recentes